Unir Consultoria Imobiliária
Home Cidade Pesquisa analisa água do Rio Itapecerica, em Divinópolis
Pesquisa analisa água do Rio Itapecerica, em Divinópolis
Escrito por Funedi   
Qui, 05 de Julho de 2012 11:00

Alunos do 5º período do curso de Química do ISED, instituto mantido pela FUNEDI/UEMG em Divinópolis, com orientação do professor Helvécio Menezes, realizaram, em junho último, uma pesquisa para analisar a qualidade da água do rio Itapecerica. Foram coletadas amostras da água do rio em seis diferentes pontos da cidade, com o objetivo de compará-las com os índices padronizados pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).

Após a coleta do material, as amostras foram levadas para serem analisadas em laboratório. “Nós levamos a amostra para o laboratório, e lá analisamos a turbidez, o pH, a condutibilidade, os sólidos sedimentáveis, cloretos, alcalinidade, dureza total, demanda química de oxigênio e oxigênio dissolvido”, disse o aluno Álvaro Machado, que participou do projeto.

O resultado das análises revelaram uma diminuição significativa na qualidade da água do rio à medida em que este percorre o perímetro urbano de Divinópolis. “A principal causa desta perda da qualidade da água é o lançamento de efluentes domésticos e industriais, sem tratamento adequado, diretamente no rio”, explicou o professor Helvécio.

publicidade

Baseada na Resolução nº 357, de 17 de março de 2005 (atualizada em 13 de maio de 211, com a resolução nº430), a pesquisa concluiu que a água do rio é considerada classe 2, podendo ser destinada ao abastecimento doméstico após tratamento convencional, à proteção das comunidades aquáticas, à recreação de contato primário, como esqui aquático, natação e mergulho, à irrigação de hortaliças e plantas frutíferas e à criação natural e/ou intensiva de espécies destinadas à alimentação humana.

Contudo, a água do rio Itapecerica não é considerada potável. “Para ser considerada potável é necessário um tratamento que inclui processos tais como gradeamento, coagulação, floculação, sedimentação, filtração e desinfecção. Entretanto, observa-se que os custos destes processos estão cada vez mais elevados em decorrência das elevadas cargas poluidoras lançadas no rio”, analisou o professor.

Dessa forma, para melhorar a qualidade da água do rio, de forma a facilitar o processo final de tratamento, é necessário realizar um rigoroso controle das emissões dos tipos de efluentes.

Helvécio ainda ressaltou a importância da participação de alunos em pesquisas. “O envolvimento de alunos neste tipo de projeto é fundamental para o desenvolvimento de habilidades ligadas à experimentação aplicada à análise ambiental. Além disso, os alunos adquirem capacidades específicas para atuarem na sociedade de forma crítica e reflexiva”, finalizou.

Informação | Funedi

 

Adicionar comentário

Você pode postar qualquer comentário nesta página, mas lembre-se: VOCÊ é o(a) único(a) responsável pelo que postar e seu IP será monitorado pelo nosso servidor.



Evite comentários grosseiros e termos chulos.


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se no DiviCity.com

Cadastrando no DiviCity.com você recebe as principais notícias da cidade, recebe as melhores ofertas e participa de promoções exclusivas.

Cadastre-se agora mesmo!

E-mail*
 

Cadernos Especiais

Page Rank Check

 

Todos
Divinópolis