Banner Zeos Travelling

Home Minas Gerais Notícias MG Tentadoras, "cinquentinhas" exigem registro e habilitação
Tentadoras, "cinquentinhas" exigem registro e habilitação
Escrito por O Tempo   
Seg, 18 de Junho de 2012 09:16

Homem em motoO preço baixo e a praticidade fazem com que as "cinquentinhas", motos com até 50 cilindradas, ganhem popularidade entre os mineiros. Porém, o mito de que guiar esse tipo de veículo não exige documentação pode complicar a vida do piloto caso ele seja parado em uma blitz. Além de multado, ele pode ter o veículo apreendido.

Até maio deste ano, o número de emplacamentos de cinquentinhas cresceu 141%, passando de 297 para 717, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MG), revelam que, por dia, pelo menos cinco ciclomotores passam a compor o trânsito do Estado, dados que podem estar subnotificados em função de um mito: de que não é preciso registrar o veículo no Detran.

"O número de cinquentinhas deve ser muito superior. Muitos pilotos não fazem o emplacamento", diz o tenente-coronel Roberto Lemos, responsável pelo Batalhão de Trânsito da Polícia Militar na capital. "Esse é o principal problema da banalização desses ciclomotores. Além de mais baratos, são vendidos em qualquer loja de departamento", afirma Lemos. Embora não existam dados, para o tenente-coronel, o número de cinquentinhas irregulares é alto em Belo Horizonte.

Para pilotar uma dessa motos, é necessário ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria A ou a Autorização de Condução de Ciclomotores (ACC), que também deve ser tirada após aulas de direção e exame no Detran.

Segundo o especialista em tráfego urbano Davi Magalhães, apesar de ser menos potente, o risco de acidentes com as cinquentinhas é o mesmo que o de uma moto convencional. "Esses veículos são ainda mais leves e, em caso de um acidente, o impacto pode ser maior e machucar mais o condutor", disse. A Polícia Militar e o Detran não têm balanço de acidentes com cinquentinhas.

O manobrista Hélio de Oliveira, 56, comprou uma moto de 50 cilindradas há dez meses. Segundo ele, a escolha pelo veículo foi feita em função do preço baixo e também pela economia de combustível. "Tenho carro, mas prefiro ir trabalhar com ela, pois minha economia é muito maior", disse. O manobrista sai do centro da capital e segue até o bairro Alípio de Melo, na região Noroeste, todos os dias. Ele diz que só tem medo nos corredores formados pelas filas de carro, onde ele afirma redobrar a atenção.

publicidade
publicidade

O presidente da Associação dos Motociclistas Trabalhadores de Minas Gerais (Amot), José Carlos Roberto, o Jacaré, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas e Ciclistas de Minas Gerais, Rogério Lara, dizem que o hábito de não emplacar essas motos deixa muitos motoristas impunes. "Esses veículos costumam ser utilizados por adolescentes, que ainda não atingiram a maioridade", diz Jacaré.

O tenente-coronel Roberto Lemos lembra que o veículo sem placa é apreendido quando parado em blitz, e o piloto, multado em R$ 191. Caso tenha habilitação, ele pode somar sete pontos na carteira. Se não tiver habilitação ou a ACC, a punição é multa de R$ 540.

Se o veículo não tiver placa e o condutor não tiver habilitação, o veículo é apreendido e só pode ser retirado após o emplacamento. Mesmo assim, após esse procedimento, é emitida multa de R$ 191.

Emplacamento triplica em Minas Gerais

As cinquentinhas começaram a ser emplacadas em 2002. Até o ano passado, houve um crescimento de 303% em Minas Gerais - passando de 355 para 1.076. Em Belo Horizonte, o aumento foi ainda maior (573,3%), mas com números absolutos não tão representativos - passando de 15 para 86. Acredita-se, portanto, que a maioria que circula pelas ruas não tenha sido registrada no Detran.

Um vendedor de uma loja de conveniência, que preferiu não ser identificado, conta que a maioria dos compradores opta pelo veículo acreditando não precisar da habilitação. "Eles compram com a intenção de não emplacar e dirigir sem documentação", disse. O preço é um dos principais atrativos: cerca de R$ 3.000, metade das motos convencionais.

Informação | O Tempo

 

Adicionar comentário

Você pode postar qualquer comentário nesta página, mas lembre-se: VOCÊ é o(a) único(a) responsável pelo que postar e seu IP será monitorado pelo nosso servidor.



Evite comentários grosseiros e termos chulos.


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se no DiviCity.com

Cadastrando no DiviCity.com você recebe as principais notícias da cidade, recebe as melhores ofertas e participa de promoções exclusivas.

Cadastre-se agora mesmo!

E-mail*
 

Cadernos Especiais

Page Rank Check

 

Todos