banner-BUE-728x90-JPG
Banner Campos do Jordão
Home Viagem & Turismo Os 3 melhores lugares para você viajar pelo Brasil
Os 3 melhores lugares para você viajar pelo Brasil
Escrito por Viajar Sempre!   
Sex, 09 de Março de 2012 17:00

JericoacoaraAo voltar de uma viagem, estamos com o orçamento muitas vezes no vermelho, mais cansados do que quando partimos e, por vezes, nos deparamos com alguns quilinhos a mais. Enfrentamos aviões apertados, estradas esburacadas e pés doloridos de tanto andar. Ainda assim, mesmo antes de pisarmos em casa, já estamos planejando a próxima viagem.

Selecionamos três destinos incríveis pelo Brasil que podem ser seu próximo destino de viagem.

Cataratas por terra, água e ar

Já muito popular entre os estrangeiros, o turismo em Foz do Iguaçu, que tem como estrela principal as cataratas, está sendo redescoberto pelos brasileiros. Uma das finalistas no concurso que elegerá, até o fim do ano, as sete maravilhas naturais do mundo, as quedas d’água dividem o Estado do Paraná, da Argentina e Paraguai, onde muitos turistas aproveitam para fazer compras ou ir a cassinos.

Mas a visita ao Parque Nacional do Iguaçu é, sem dúvida, a grande atração do destino e parada obrigatória. Para explorá-lo há basicamente três formas: caminhando, de helicóptero e de barco. A escolha varia de acordo com o tempo da viagem, o orçamento e a disposição de cada um.

Para conhecer as cataratas andando, há uma trilha cimentada com pouco mais de um quilômetro pelo parque, onde existem mirantes com vistas privilegiadas da sequência de quedas. O caminho conta ainda com uma passarela por cima das corredeiras, mais próxima das quedas. O que significa que, dependendo do volume de água e da direção dos ventos, você poderá se molhar sem sair de solo firme.

Dependendo do horário e do movimento de turistas, é possível avistar cotias, tucanos, macacos e grupos de quatis no trajeto. Um ônibus faz o transporte da entrada do parque até o ponto inicial da trilha.

Quem deseja passar mais tempo próximo das águas pode se hospedar no Hotel das Cataratas, o único dentro da área do parque e com vista para as quedas. Além de poder dormir embalado pelo barulho das quedas, os hospedes são liberados para transitar pelas trilhas fora do horário de visitas oficial, entre nove da manhã e cinco da tarde. É a chance de aproveitar as cataratas em uma noite de lua cheia ou durante o pôr-do-sol.

Longe da área urbana, o hotel conta com SPA próprio e tem a bandeira Orient-Express, também responsável por outras hospedagens de luxo como o Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, e o Machu Picchu Sanctuary Lodge, único hotel ao lado do parque, no Peru.

As Cataratas do Iguaçu podem ser admiradas de diversos ângulosOutros olhares

Para ter um contato mais intenso com as águas, o passeio de barco é emocionante e molhado. O Macuco Safari começa com um trajeto pela mata em uma carretilha elétrica e uma curta trilha a pé até o cais de embarque. Se o roteiro começa calmo, as manobras do barco garantem a adrenalina e o banho gelado é garantido ao chegar bem perto de algumas quedas.

O passeio de helicóptero, por sua vez, proporciona uma vista panorâmica das cataratas e dá uma dimensão do conjunto de quedas. É possível enxergar o lado argentino do complexo, com longas passarelas, e olhar a mata ao redor. A experiência dura apenas 10 minutos, mas vale como opção para quem gosta de voar ou não tem disposição para se molhar.

Além do passeio às cataratas, o roteiro de ecoturismo dentro do Parque Nacional conta ainda com a trilha da Bananeira, com dois quilômetros, e a do Poço Preto, com nove quilômetros, e que pode ser feita a pé, de jipe ou de bicicleta. Nessa altura do rio é possível andar de caiaque e fazer um trajeto de barco. Atividades como rapel e cachoeirismo também são opcionais para os mais aventureiros.

Serviço:

Hotel das Cataratas
Diárias para casal a partir de R$ 591.

San Rafael Comfort Class Hotel
R$ 180 para casal

Iguassu Resort
R$ 274,00 para casal

Viale Cataratas Hotel & Eventos
R$ 220 por pessoa

O melhor de Jericoacoara, sem cair em pegadinhas

Ao ouvir o preço para subir de quadriciclo ao alto da Duna do Pôr do Sol, R$ 120 por pessoa, o viajante atento certamente ficará desconfiado. Certo, há o aluguel do veículo, mas a montanha de areia fica logo ali, ao lado do centrinho de Jericoacoara, visível de qualquer ponto da praia central. Por que tudo isso? Até o mais descolado dos viajantes já viveu a sensação de estar sendo, digamos, sobretaxado em destinos turísticos no mundo todo. E a cearense Jeri, claro, também tem suas pegadinhas. Nada que desencoraje a visita a uma das vilas litorâneas mais charmosas e gostosas do País. Mas estar bem informado vai ajudar você a evitar a armadilha das cobranças exageradas - e guardar seu dinheiro para usar naquilo que realmente vale a pena.

Por do sol nas dunas de Jericoacoara

A gastronomia variadíssima e as tentadoras lojas de artesanato e design, por exemplo. Lembre-se de que preços de passeios estão sujeitos a barganha. No buggy para quatro pessoas, um casal pode ter pagado valor superior ao desembolsado pelo outro. Mais uma vez, é questão de ficar atento e, sempre que possível, pechinchar.

Jeri está a 300 quilômetros de Fortaleza. É preciso ir até Jijoca e, de lá, embarcar em jardineira ou bugue - veículos comuns não chegam ao vilarejo.

Por conta: a empresa Fretcar tem a concessão da rodovia que leva até Jijoca. A passagem custa R$ 57 e pode ser comprada pela internet. Estão incluídos o ônibus semileito, pontual e confortável (passa no aeroporto às 8h30 e às 16h30), com serviço de bordo (bolacha e suco), e a jardineira que leva a Jeri. Também dá para comprar o trecho de retorno na agência da Fretcar em Jeri.

Em agência: R$ 90 para ir de van (embora digam ao turista que o trajeto é feito de micro-ônibus) até Jijoca - com paradas para fotos no caminho. Além de outros R$ 120 para o percurso de buggy, na areia, entre Jijoca e Jericoacoara e vice-versa, na Trilha do Jericó.

Monumento natural símbolo de Jeri, está dois quilômetros ao sul do centrinho da vila. Na chegada, o Chicão estará por lá com um isopor cheio de coco, água e refrigerante, a R$ 2,50 cada.

Por conta: grátis. O caminho pela praia, à beira-mar, é bonito e mais fresco, mas só pode ser feito na maré baixa (as pousadas costumam ter a tábua de marés). Também é possível caminhar por cima do morro, com linda vista do horizonte. Não há como errar

Com guia: R$ 120 o casal. O guia mostra o caminho, tira fotos e leva água - para ser vendida aos turistas. - De quadriciclo: R$ 120 por pessoa, em média. Com o veículo, o caminho é feito por cima do morro e você, de toda forma, será obrigada a caminhar os últimos 900 metros, por conta da localização do estacionamento.

DUNA DO PÔR DO SOL

Diariamente, os turistas repetem o ritual de subir a duna localizada na ponta norte da praia do centro, a partir das 16 horas. Lá em cima, o clima é de balada, com direito a ambulantes vendendo bebidas.

Por conta: grátis. Do centrinho ao alto da duna - uma caminhada de cerca de 200 metros - você leva, no máximo, meia hora, com paradas para descansar durante a subida (que nem é tão puxada assim). O vento é forte: ir de óculos de sol protege os olhos da areia. Cuidado com o chapéu, que inevitavelmente vai voar.

De quadriciclo: R$ 120 por pessoa, até o alto da duna.

LAGOAS

As lagoas do Paraíso, Azul e da Torta, as mais famosas da região, têm restaurantes rústicos que servem peixe fresco e redes dentro d’água para receber os turistas. Não há outra forma de chegar até elas: você terá de contratar um buggy.

Por conta: vendido nas pousadas, o passeio com duração de quatro a cinco horas custa, em média, R$ 120 para o casal.

Em agência: a Trilha do Jericó cobra cerca de R$ 290 para fazer percurso equivalente.

Vista de Ouro PretoO essencial de Ouro Preto

Famosa por participar do Circuito do Ouro, conhecida e nomeada por ser a cidade do poderoso minério de cor escura, muito garimpado no século 18, Ouro Preto está entre os destinos mais procurados de Minas Gerais.

Ao entrar na Estrada Real, ainda em Ouro Branco, alguns quilômetros antes de chegar ao final da empreitada, sentíamos o friozinho característico das montanhas - também característico de quem jamais havia pisado em Ouro Preto. Comentários partiam de todas as partes, exaltando o carnaval, a Arte, a importância histórica, a boa comida e a boa gente. As ladeiras em calçamento de pedra não negavam. Entrávamos na cidade.

Pacata, elegante, artística, aconchegante. Não faltam adjetivos para classificar o destino, ou melhor, o recinto. Sim, recinto, e leia-se santuário. Pois é assim que nos sentimos por aqui, acolhidos por sua gente, por suas obras e sua história. Um pedido de informação torna-se uma prosa, assim como em todo o Estado de Minas Gerais.

Ao amanhecer, dos pontos mais altos de Ouro Preto se identifica a névoa característica da região montanhosa. Não demora até que o sol apareça e as ruas fiquem cheias, alegres, com ar interiorano abastecido pelos cumprimentos que se recebe ao cruzar os cidadãos.

publicidade
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Ouro Preto gira em torno de universitários, comércio, restaurantes e bares - além, é claro, da história que envolve suas construções, ruas e travessas. O passeio às edificações mais famosas é inevitável.

Os restaurantes são cheios de comidas típicas, extremamente saborosas. A arte é presente em quase todas as ruas e praças, assim como as construções tombadas como Patrimônio Histórico. O charme se estende noite afora, como não poderia deixar de ser em uma cidade rodeada de repúblicas de estudantes, turistas vindos de todas as partes do País, em todos os meses, e alegres moradores. Um bom exemplo disto se dá em julho, quando acontece o Festival de Inverno de Ouro Preto, com muitos shows, apresentação de peças teatrais e poesia, fazendo com que a cidade não pare.

COMO CHEGAR:

Por terra

Quem vem do sul do estado de Minas Gerais deve seguir pela BR-040 até o trevo de Conselheiro Lafaiete. Daí para frente é só entrar na Estrada Real, seguindo as placas de Ouro Branco e Ouro Preto. Quem vem do norte, o mais aconselhável é seguir rumo à Belo Horizonte e depois descer pela BR-040 até o trevo de entrada para a Estrada Real, antes de chegar à Conselheiro Lafaiete. Por aqui as estradas estão melhores.

Pelo ar

O aeroporto mais próximo e acessível à todos fica em Belo Horizonte, 107km ao norte de Ouro Preto. De lá, basta tomar um ônibus para chegar ao destino.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

- Posto de Informações Turísticas
Rua Padre Rolim, s/nº. Atendimento das 08h15 às 18h15
Praça Tiradentes, 04. Atendimento das 08h15 às 18h15

- Rodoviária
Rua Padre Rolim, 661
Tel.: (31) 3559-3225

- Estação Ferroviária – Trem Turístico
Praça Cesário Alvim, 102, Barra
Tel.: (31) 3551-7705

- Bancos
Atendem em horário normal, todos localizados no centro da cidade. Caixas eletrônicos em funcionamento até às 22h.

Informação | Viajar Sempre!

<br>
 

Adicionar comentário

Você pode postar qualquer comentário nesta página, mas lembre-se: VOCÊ é o(a) único(a) responsável pelo que postar e seu IP será monitorado pelo nosso servidor.



Evite comentários grosseiros e termos chulos.


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se no DiviCity.com

Cadastrando no DiviCity.com você recebe as principais notícias da cidade, recebe as melhores ofertas e participa de promoções exclusivas.

Cadastre-se agora mesmo!

E-mail*
 
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Reserva de Hotéis

Salvador
Pestana Bahia (4*)
R$ 260,00
Rio de Janeiro
Royalt Copacabana (4*)
R$ 230,00
Fortaleza
Samburá Palace (3*)
R$ 99,00
Buenos Aires
Ayres de Recoleta (4*)
US$ 105
Milão
Milano Corso (3*)
€ 105

Page Rank Check

 

Todos